Primeira viagem internacional: Por onde começar?

Uma vez as passagens aéreas – principalmente as de destino internacionais tinham valores absurdos. Só viajava para fora do país quem estava disposto a gastar rios de dinheiro – não que eu ache isso errado, afinal penso que viajem é o melhor investimento que podemos fazer na vida! Bom, de um tempo para cá, as passagens internacionais estão ficando mais acessíveis, fora que sempre tem várias promoções que, muitas vezes tornam os valores das passagens para outros países mais barato do que passagens para destinos no Brasil.

Isso tem mudado a forma de pensar das pessoas, porque o sonho de viajar para outro país se torna algo possível para todos. Com tantas facilidades para realizar viagens ao exterior – passagens acessíveis, opções econômicas de hospedagem, facilidade de transporte, nós passamos a planejar nossas tão sonhadas viagens, e então surge o questionamento: o que eu preciso para fazer a minha primeira viagem internacional?

  • Passaporte: O passaporte é o documento oficial para os viajantes. Nós brasileiros se escolhermos destinos do Mercosul, não precisamos nos preocupar com isso. Você pode ingressar em qualquer país do Mercosul (Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai)  apenas com RG – com menos de 10 anos de emissão; Mas é tão gostoso colecionar carimbos que vale a pena emitir o passaporte mesmo que seu destino seja algum dos nossos vizinhos;
  • Visto: O Visto é uma autorização concedida à estrangeiros para entrar em um determinado país – nem todos países exigem visto; Existem várias modalidades de visto – trabalho, estudos, turismo e trânsito, os últimos dois importante para quem ama viajar. OBS: alguns países como EUA, Canadá, China e Austrália, exigem aos viajantes em casos de escala o visto de trânsito. Esse visto permite que o viajante entre no país e permaneça algumas horas enquanto ele espera o seu próximo voo. E, é muito importante saber que esse visto não permite que você conheça o país mesmo que você tenha muitas horas de conexão;
  • Vacinas: A única vacina que é exigida para entrada em outros países é a febre amarela – ela geralmente é exigida em países onde você terá contato com a natureza; E é preciso emitir Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)  para isso é só entrar no site da Anvisa preencher o formulário e depois escolher um dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante e levar com você sua carteirinha de vacinação comum, depois disso é só guardar seu certificado e levar com você na viagem. Mas a ANVISA recomenda ter também outras vacinas como: Hepatites A e B, Tétano e Difteria, e a Tríplice Viral, para proteger contra possíveis doenças, como: Sarampo, Caxumba e Rubéola.
  • Seguro Viagem: Em alguns países esse é um item obrigatório, como é o caso da Alemanha e países que fazem parte do Tratado de Schengen. E mesmo em países que não é obrigatório é extremamente importante tê-lo. Em países como EUA não existe hospitais públicos e lá atendimento médico é extremamente caro – para ter noção uma simples torção de pé pode custar com médicos, internação, exames e talas uma bagatela de US$15.000 (não tem zero sobrando não – é isso mesmo, já tivemos um amigo que passou por isso e foi salvo pelo seguro saúde)

Feito tudo isso, agora é só escolher o destino, comprar passagens, montar roteiros, comprar moeda local ou cartão de crédito seja pós ou pré-pago – sendo que nessas opções você acaba gastando um pouco mais e então, é só aproveitar!

E ai, qual será o destino?

Comentários

comentários

error: Content is protected !!